Evangelho de João Jo 1:1-18 Jo 1:19-39 Jo 1:35-51

Jo 1:19-34

19 E este foi o testemunho de João,
quando os judeus lhe enviaram de Jerusalém sacerdotes e levitas para que lhe perguntassem: Quem és tu?
20 Ele, pois, confessou e não negou; sim, confessou: Eu não sou o Cristo.

É importante destacar mais uma vez que este João citado no texto não é o autor do Evangelho, mas João Batista.
Para saber mais leia Lucas 1:5-25; 57-80 e 3:1-20.

Nessa narrativa o termo "judeus" não reflete o povo como um todo, mas um grupo específico (no caso, o sistema religioso institucional em Jerusalém) incluindo o sinédrio - corte suprema da nação judaica.

As autoridades religiosas judaicas geralmente eram hostis a Jesus.

O Cristo = o Messias, o Ungido.


21 Ao que lhe perguntaram: Pois que? És tu Elias?
Respondeu ele: Não sou.
És tu o profeta?
E respondeu: Não.

Se João Batista não era o Messias, ele podia ser outro personagem da expectativa do final dos tempos.

Deus tratou com Israel sempre por meio de profetas. João Batista não perguntou, a que Profeta que eles estavam se referindo pois já sabia que estava prometido um grande profeta, um profeta especial, um novo Moisés que exerceria a função mediadora de Moisés.

Moisés em seu discurso de despedida, disse ao povo que Deus levantaria outro profeta (Dt 18:15-19). O povo de Israel já esperava este profeta prometido em diversas outras profecias.


22 Disseram-lhe, pois: Quem és? para podermos dar resposta aos que nos enviaram; que dizes de ti mesmo?
23 Respondeu ele: Eu sou a voz do que clama no deserto:
Endireitai o caminho do Senhor, como disse o profeta Isaías.

Os membros da delegação sentiram-se frustrados pois João Batista dava a entender ser um personagem importante e prometido nas escrituras.

Então João cita o texto de Is 40:3.


24 E os que tinham sido enviados eram dos fariseus.
25 Então lhe perguntaram: Por que batizas, pois, se tu não és o Cristo, nem Elias, nem o profeta?
26 Respondeu-lhes João: Eu batizo em água; no meio de vós está um a quem vós não conheceis.
27 aquele que vem depois de mim, de quem eu não sou digno de desatar a correia da alparca.
28 Estas coisas aconteceram em Betânia, além do Jordão, onde João estava batizando.

Alguns dos responsáveis pelo envio da delegação estavam presentes.

O grupo insite em obter mais explicações de João Batista, talvez no intuito de incriminá-lo como agitador.


29 No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele,
e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.

Cordeiro de Deus, isto é, enviado por Deus Is 53:7,8,12 em referência ao Cordeiro pascal (da saída do povo de Deus da escravidão do Egito conforme Ex 12:1, +)

O versículo reúne em uma única realidade a imagem de servo e o rito do cordeiro pascal, símbolo da redenção de Israel.


30 este é aquele de quem eu disse:
Depois de mim vem um varão que passou adiante de mim, porque antes de mim ele já existia.

João Batista, humanamente falando era mais velho do que Jesus.

O verso reafirma a preexistência de Jesus.


31 Eu não o conhecia; mas, para que ele fosse manifestado a Israel, é que vim batizando em água.

João Batista batiza apenas com água simbolizando a lavagem dos pecados renunciados. O batismo de João era especificamente um sinal de arrependimento do pecado confessado pela pessoa que estava sendo batizada. Sua finalidade era preparar um povo submisso ao vindouro Rei messiânico.


32 E João deu testemunho, dizendo: Vi o Espírito descer do céu como pomba, e repousar sobre ele.
33 Eu não o conhecia; mas o que me enviou a batizar em água, esse me disse:
Aquele sobre quem vires descer o Espírito, e sobre ele permanecer, esse é o que batiza no Espírito Santo.

João Batista segue seu testemunho, informando que fora incumbido de realizar seu batismo (de água) e anunciar aquele que faria o batismo no Espírito.

Jesus batiza com o Espírito Santo, isto é, o Espírito Santo nos capacita para vivermos a nova vida à altura das novas expectativas impostas pelo Reino de Deus.

O objetivo deste batismo é habilitar o cristão a ter o poder, as qualidades e virtudes que façam deles fiéis embaixadores de Jesus Cristo. Também recebem poder para não cometer os mesmos erros que tinham antes de ser seguidores de Jesus.

O batismo cristão contém a identificação com a morte e ressurreição de Cristo.


34 Eu mesmo vi e já vos dei testemunho de que este é o Filho de Deus.

João Batista testifica que Jesus é o filho de Deus.

A obra do Messias é regenerar a humanidade no Espírito Santo (fazer a religação do homem com Deus)